TRT 8ª Região: Projeto de lei cria 152 vagas para analista e...

TRT 8ª Região: Projeto de lei cria 152 vagas para analista e técnico

Tramita na Câmara dos Deputados o projeto de lei (PL) 2.817/2015, de autoria do ministro Antônio José de Barros Levenhagen, que cria 152 vagas no quadro de pessoal do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região (TRT 8). O órgão tem jurisdição nos Estados do Pará e Amapá.

Das oportunidades apresentadas no documento, 101 são para o cargo de analista judiciário e 51 para técnico judiciário. Nos dois casos, a área prevista no PL é a administrativa.

Consta no projeto que o TRT 8 justificou a proposta da ampliação de servidores em face a necessidade de adequar a estrutura e o quadro permanente de pessoal. Fora isso, o órgão argumentou que houve aumento de sua movimentação processual e, consequentemente, sobrecarga de trabalho.

MAIS DETALHES

A função de técnico destina-se aos candidatos com ensino médio completo e apresenta remuneração inicial de R$ 5.365,92. Já o posto de analista aceita profissionais que tenham formação superior em qualquer área de atuação e oferece salário de R$ 8.803,97.

Se o PL for aprovado no Congresso Nacional e sancionado pela presidente da República, as oportunidades criadas serão preenchidas por meio de novos concursos e seleções que estão em andamento.

No momento, a proposta está em trâmite na Comissão de Finanças e Tributação (CFT). O documento ainda passará pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJC), antes de ser votado no Plenário.

ATRIBUIÇÕES DO CARGO

Técnico judiciário – Prestar apoio técnico e administrativo pertinente às atribuições das unidades organizacionais; executar tarefas de apoio à atividade judiciária; arquivar documentos; efetuar tarefas relacionadas à movimentação e à guarda de processos e documentos; atender ao público interno e externo; classificar e autuar processos; realizar estudos, pesquisas e rotinas administrativas; redigir, digitar e conferir expedientes diversos e executar outras atividades de mesma natureza e grau de complexidade.

Analista judiciário – Realizar tarefas relacionadas à administração de recursos humanos, materiais, patrimoniais, orçamentários e financeiros, de desenvolvimento organizacional, licitações e contratos, contadoria e auditoria; emitir informações e pareceres; elaborar, analisar e interpretar dados e demonstrativos; elaborar, implementar, acompanhar e avaliar projetos pertinentes à área de atuação; elaborar e aplicar instrumentos de acompanhamento, avaliação, pesquisa, controle e divulgação referentes aos projetos desenvolvidos; atender ao público interno e externo; redigir, digitar e conferir expedientes diversos e executar outras atividades de mesma natureza e grau de complexidade

jcconcursos.uol.com.br